Na base deste trabalho está a filosofia Ikigai que (de forma não sectária ou restritiva) busca contribuir para que todos possam viver vidas com muito mais PROPÓSITO, SENTIDO e PERFORMANCE, sempre dentro de um espírito de união e fraternidade, com elevado sentido de PROTAGONISMO sobre suas vidas e carreiras.

Ikigai não é um “ismo” ou doutrina e por isso não pretende dizer para ninguém como este deve viver sua vida. Seu objetivo é propiciar maior sentido e harmonia para a forma como vivemos, coexistindo de forma harmônica e complementar com todas as religiões e filosofias de cunho humanista que hoje existem no mundo.

A filosofia Ikigai é na verdade uma “filosofia de vida” originária de Okinawa, ilhas ao sul do Japão que apresentam entre sua população as mais altas taxas de longevidade do planeta, com mais de 20% de sua população já alcançando a casa dos 100 anos.

Além disso, por meio de todos os aspectos que formam esta filosofia, que inclui a alimentação e as relações sociais de mutuo apoio (denominada de Moai), os moradores de Okinawa são igualmente uma das populações com maior índice de felicidade e propósito para a vida conhecidos no mundo.

Veja o vídeo sobre a filosofia IKIGAI de Okinawa para entender um pouco dessa realidade:

Ikigai é uma palavra japonesa que pode ser traduzida por “a razão de ser”, “aqueles objetivos de vida que nos fazem levantar todas as manhãs” ou, como gosto de dizer, “nossa motivação profunda”.

Para ser mais exato, Ikigai se escreve 生き甲斐, cujos ideogramas remetem a “vida” e “valer a pena”. É relevante observar que a decomposição destes também traduz “armadura”, “número um”, “ser o primeiro a ir” (na frente em uma batalha levando a iniciativa e liderança), e também “elegante” e “belo”, algo que demonstra uma atitude ativa e estética na forma pelo qual estes escolhem viver.

Para os japoneses de Okinawa, todos nós carregamos o nosso próprio ikigai e é essencial descobri-lo, torná-lo nosso e carregá-lo como bandeira. Até por que, quando estamos conectados com nosso propósito, aprendemos a dizer não para tudo aquilo que nos distrai e afasta dele, sendo o foco o maior potencializador do propósito.

Em sua visão, somente quando vivermos nosso Ikigai conseguiremos nos comprometer com nós mesmos para enfrentar qualquer dificuldade e para dar real sentido e significado para nossas vidas.

A MANDALA IKIGAI

Normalmente quem já ouviu falar sobre a filosofia Ikigai teve este primeiro contato por meio do círculo ou mandala Ikigai. De fato, um dos elementos que mais surpreende a todos, criando uma imediata identificação com esta filosofia, é a mandala Ikigai.

Esta mandala é um desenho que aborda as diferentes áreas e intercessões de uma vida plena de razão de ser, não excluindo inclusive a questão financeira, uma área que habitualmente é tratada por boa parte das filosofias como algo de menor valor ou até como um entrave para a busca da felicidade. Seu primeiro divulgador foi Marc Winn, um visionário especialista em inovação e altamente engajado com a melhoria social no planeta.

Mas, independentemente deste fato, sua estruturação é muito útil por que nos ajuda, enquanto ocidentais de mente racional, a compreender o que significa e qual o valor de uma vida em Ikigai em suas diferentes dimensões. Logo, contribuir para que pessoas possam viver plenamente todos os aspectos desta mandala encontrando mais sentido e propósito para a vida é uma das bases da filosofia Ikigai.

Abaixo, a Mandala incompleta mostra o que acontece quando conseguimos alinhar três, mas,ainda falta um dos círculos em nossas vidas.

Todo processo transformador e a realização do potencial humano se inicia com o entendimento desta questão: - o que eu amo fazer? É no cerne desta questão que encontraremos o que, para a Filosofia e Metodologia Ikigai se traduz por MOTIVAÇÃO PROFUNDA. A palavra motivação tem origem em “motivo para a ação”. Logo fica evidenciado que, se m saber qual é o nosso “moto” (aquilo que nos coloca em movimento), dificilmente encontraremos motivação profunda para realizar algo com EXCELÊNCIA, pagando o preço do investimento que este projeto demanda.
Este é o ponto que surge de nosso compromisso com a EXCELÊNCIA, pois, apenas amar uma atividade não é o suficiente para determinar que seremos referência no que realizamos. Ser referência, na visão Ikigai, tem pouca relação com reconhecimento exterior (sucesso), mas está diretamente relacionado com sentido de propósito e missão, fator aqui de nominado de GRANDEZA.
Quando amamos o que fazemos e nos dedicamos a fazer bem feito, para ser um trabalho (de outra forma é hobby) é necessário que consigamos encontrar um plano que defina nossa expectativa de remuneração (muito ou pouco), nossa aderência ao risco (segurança ou risco) e um projeto para atingir este fim. Muitas pessoas acham que fazer o que se ama (seguir o coração) pode significar que não vão ganhar dinheiro. Mas este não é um raciocínio lógico ou válido. Na visão Ikigai, para se ganhar dinheiro preservando a felicidade é preciso fazer o que se ama e de forma bem feita, com excelência. Porém, faz-se necessário a criação de um projeto que transforme esta competência em RESULTADO FINANCEIRO EFETIVO.
Uma vida significativa, já comprovada por diversas teorias, perpassa pelo sentido de que o que realizamos causa resultados positivos para o mundo (leia-se, aqueles que nos cercam ou que de alguma forma são impactados por nossas ações). Então, na Filosofia Ikigai, isso não precisa necessariamente estar associado a causas sociais ou ambientais. Refere-se, sim, ao sentido profundo de AÇÃO ALTRUÍSTA e RESULTADOS POSITIVOS de nosso trabalho ou atitudes. Toda pessoa que tem clara percepção de que seu trabalho não é apenas um meio para ganhar dinheiro tem muito maior facilidade de se destacar, mas também de encontrar satisfação e motivação profunda no que realiza.

10 LEIS DA LONGEVIDADE IKIGAI

Okinawa é o lugar no mundo onde os habitantes vivem mais tempo. Qual é o segredo da centenária população de Okinawa?

MÉTODO IKIGAI

Somos o método Ikigai e ajudamos pessoas a viverem com propósito, performance e protagonismo de forma que alcancem uma vida verdadeiramente significativa, sem falta de sentido, procrastinação e resultados medíocres.